Projeto Grupel Angola de 18MW para Central de Média Tensão

Projeto Grupel Angola

Projeto Grupel Angola de 18MW para Central de Média Tensão

Mais uma vez a Grupel foi desafiada a fornecer uma solução de produção de energia através do fornecimento de uma central de potência a diesel, para trabalho contínuo em Angola, que demonstrou ser um projeto de grande dimensão e complexidade.

Este projeto Grupel Angola de 18MW, consiste no fabrico, instalação e comissionamento de 11 unidades de potência modular de 1770kVA cada em contentores de 40’’ todos com os mesmos requisitos. Desde o início em 2013, que na Grupel estiveram envolvidos todos os seus Departamentos para que houvesse desenvolvimento do projeto. Através do seu Departamento de Engenharia e Projetos Especiais, que focada e dedicada alterou inúmeras vezes o projeto de forma a encontrar a melhor solução para este fornecimento. Em todas as etapas, até ao final, tudo foi desenvolvido internamente, com uma equipa profissional, focada e dedicada na produção de energia com a melhor qualidade.

Relativamente às características deste projeto, os contentores foram divididos em 3 compartimentos distintos onde foi colocado em cada um dos compartimentos os seguintes equipamentos: transformador, quadro de comandos e grupo eletrogéneo.

Referimos ainda o facto de ser um fornecimento de uma central com entrega em média tensão, o que só nos elevou mais o entusiasmo e a nossa dedicação na conceção, fabrico e entrega dos equipamentos. A opção da Grupel em conjunto com o cliente foi a produção em baixa tensão 400 V, com a adição de um transformador elevador 0,4/15kV, para o fornecimento de energia a 15000 Volts.

Dada a complexidade da solução, houve a necessidade de rever todos os detalhes ao pormenor e todos os equipamentos foram escolhidos para cumprirem a sua função e sempre em vista a proteção e segurança dos operadores. Assim na parte elétrica, cumprimos a legislação em vigor e referirmos além dos disjuntores e celas de proteção, o encravamento de algumas celas de média tensão, para que não possam estar encravadas enquanto estiverem pessoas no interior da sala do transformador ou caso não estejam na posição de serviço.

Houve ainda a atenção para o arranque dos equipamentos através da colocação de uma resistência de pré-aquecimento no circuito de refrigeração para que desta forma possa possibilitar as condições ótimas de arranque do bloco do motor.

Em alguns dos compartimentos houve o cuidado da colocação de dois ventiladores de extração de ar quente, um no compartimento do grupo e outro na sala do transformador, que apenas funcionam quando atingem uma determinada temperatura, definida pelo departamento de engenharia da Grupel.

Adicionalmente, na parte mecânica e construtiva do projeto colocou-se ainda atenuadores de ruído nas saídas de ar do ventilador para que haja uma atenuação dentro das normas habituais neste tipo de fornecimento.

Em relação aos componentes, os motores escolhidos pelo cliente foram MTU, não só por serem motores fiáveis, pois estes vão estar a funcionar 24/24h, mas também pelo custo de operação, visto que os motores MTU têm uma relação de consumo de combustível mais otimizada, onde atingimos o ponto em que a mais valia inicial na aquisição do motor é superada pelo valor poupado em combustível.

Os restantes componentes como a aparelhagem média e transformadores elevadores 0.4/15kV são da marca EFACEC, de forma a obedecer aos requerimentos e normas do mercado na Angola e seguir o caderno de encargos exigido pelo cliente.

O quadro de comandos é o modelo DSE 8610, da marca Deep Sea. É um controlador user friendly com um enorme fornecimento de soluções para o paralelo e sincronismo entre geradores. Localmente, acrescentamos ainda um outro controlador, modelo DSE 8005, tratando-se de um sistema de controlo e supervisão dos equipamentos para operar os geradores a partir de um único local.

A central de produção consiste ainda numa parte de armazenamento e distribuição da rede de combustível, estando equipada um tanque de 150 m3 de gasóleo não filtrado que servirá como recetor do gasóleo que chegará à central. Esse gasóleo será depois filtrado através de uma central de depuração de partículas e líquidos, como por exemplo água, e passará para dois tanques de 300 m3 de gasóleo já filtrado. Estes tanques serão a reserva da central, onde passará para duas cisternas diárias de 40.000 Litros cada, e daqui para depósitos de cada um dos grupos geradores. No mesmo local existirá ainda um deposito de óleo para os sistemas de lubrificação.

Depois do arranque dos geradores e da sua sincronização irá passar para uma sala de distribuição que irá fornecer e distribuir energia a vários postos de seccionamento espalhados ao longo do complexo industrial.

De facto, trata-se de um projeto inovador que será implementado em Angola, e tratar-se-á de um complexo industrial de referência naquele País. Qualquer projeto desta magnitude necessita de ter um controle de supervisão e aquisição de dados (SCADA) capaz de gerir toda a parte industrial e a própria produção de energia, sendo que se tratar de um equipamento prioritário. Assim contruiu-se uma arquitetura de um sistema de controle que usa computadores, comunicações de dados em rede e interfaces gráficas de usuário para gestão de todo os processos.

Respetivamente ao SCADA, que será utilizado no centro de supervisão do cliente, a marca selecionada foi PLC Siemens, autómato, que foi algo exigido pelo cliente, para que estes possam comunicar com os outros equipamentos do cliente, pois trata-se de uma plataforma centro de supervisão dos restantes equipamentos que irá fornecer informação relevante nomeadamente do gerador/transformador/controle operacional do sistema, assim como o número de horas de funcionamento e energia ativa/reativa.

Foi ainda considerado um gerador de blackstart para o caso de falha de toda a energia no complexo. Assim, em caso de falha, o gerador receberá ordem de arranque e irá alimentar todos os periféricos que possibilitem a retoma da condição normal de funcionamento dos grupos geradores.

Este foi mais um projeto concretizado que demonstra a capacidade de conceção, desenvolvimento, fabrico, instalação e comissionamento dos projetos que a Grupel realiza. É assim que conseguimos gerar a melhor Energia de Portugal para o mundo.

 

Share this post


preloader