GRUPEL

Indústria 4.0: o caminho para a otimização do processo produtivo

Institucional | Inovação

No caminho para a otimização dos nossos processos industriais e de gestão, contratámos recentemente o Kaizen Insitute e, em conjunto, estamos a trabalhar para o aperfeiçoamento de procedimentos e formas de atuar, a fim de alcançar uma maior eficiência.

Movido pela filosofia japonesa, Kaizen, da qual repete a denominação, o Kaizen Institute é reconhecido pela consultoria e o apoio a empresas com vista à sua melhoria incremental e contínua. Combinando diversas ferramentas e métodos colaborativos de transformação, a sua ação visa garantir o desempenho exemplar das várias áreas da empresa, ao identificar os problemas e as oportunidades de melhoria, apoiando, também, a implementação das respetivas soluções.

A otimização do processo produtivo é um dos grandes objetivos da nossa marca que, nos últimos anos, tem investido significativamente numa reorganização e transformação digital estruturais, com a aquisição de maquinaria de última geração, a reestruturação do espaço da fábrica e do armazém e a implementação de um Shop Floor Management.

Todas estas medidas permitem a integração e a interligação de todos os sistemas, procedimentos e fluxos de informação, desde as diversas linhas de produção, à logística, à engenharia, ao marketing e demais departamentos, possibilitando processos mais eficientes e soluções mais otimizadas e qualificadas.

 

José Souto, Diretor de Operações da Grupel, fala-nos sobre as intenções da empresa com esta parceria e a importância da constante atualização e modernização dos processos para garantir uma maior eficiência e um posicionamento cada vez mais forte no mercado:

 

“A parceria com o Kaizen surge a propósito do processo de integração e digitalização, rumo à Indústria 4.0, em que estamos imersos. Tem como objetivo alcançar uma produção de 100 unidades semanais com apenas um turno de produção de 8 horas e 5 dias úteis, o que pressupõe a reformulação dos processos operativos e o aumento da nossa capacidade e da eficiência do turno. O resultado esperado será a produção de um gerador por cada 20 minutos.

As mudanças são transversais a todos os departamentos implicados na produção, passando de uma produção em lote para uma produção unitária ‘just in time’. Desta forma, teremos, no fluxo da linha, no máximo, 12 unidades, em vez das 40 que, por vezes, apresentamos. Isto conduzirá a uma melhoria das condições de trabalho de todos os colaboradores e a uma maior eficiência. Todos os materiais e operadores estão a ser reposicionados para reduzir os tempos mortos e os deslocamentos desnecessários. Vamos conseguir produzir mais rápido e com menos esforço.

Tendo também em conta que o nosso espaço é limitado, estamos a tentar otimizar as nossas instalações para lá conseguir produzir o máximo possível, de modo a termos uma fábrica que absorva o crescimento que queremos alcançar há vários anos.

A melhoria contínua é importante, não só para a Grupel, como para todas as empresas a nível global que queiram evoluir e adaptar-se às novas necessidades do mercado, digitalizando todos os âmbitos da empresa para ser “ponta de lança” no setor.”

 

Para uma empresa, como a Grupel, cujo foco está no cliente, a otimização do seu processo produtivo é uma prioridade. Só, desta forma, somos capazes de tornar o nosso trabalho mais eficiente em tempo e custos, e as nossas soluções cada vez mais aptas a responder às necessidades e requisitos dos nossos clientes e às exigências do mercado, com o menor prazo de entrega possível.

 

Partilhar